Carta aberta de Maurício Kehrwald

Maurício anda lá pelas bandas do ''Eixo'', e de lá escreve este excelente relato, via e-mail. Abre a gaita, Maurício!

_____________________________________


George,


A gente, que acompanha com um interesse doentio aquilo que convencionamos (nosotros do Puro Futebol) como periféricos do futebol, provavelmente já chegou ao que eu chamaria, sem falsa modéstia, de estado parapsicológico do segmento. Sabemos só pelo discurso de determinado dirigente qual o jogador que ele vai vender e de quais regiões do país ele vai trazer os próximos ineptos para a posição (gastando quase todo o dinheiro obtido com a venda do jogador bom e errando miseravelmente em TODAS as contratações).

Acontece que precisamos ter a humildade de reconhecer que, quando tratando-se de extra-campo, nosso conhecimento superior é bastante restrito ao futebol gaúcho, o que é normal e compreensível.

Como tu deves saber - ou não - eu estou faz um mês aqui em SP. Este pouco tempo não me torna um candidato a parapsicólogo da cultura futebolística local, mas dá, sim, pra tirar uma temperatura aproximada de alguns FATOS sobre o torcedor-médio (aquele mané que torce pra um time mas não se preocupa muito com ele).

Para a nossa realidade isto é mais complicado, pois no Rio Grande temos aquela cultura de SER alguma coisa. Quem torce pro INTER tem um motivo forte para tal e a mesma coisa acontece com o GRÊMIO (cito os dois representantes pois não estou mais em idade de fazer demagogia dizendo que tem mais algum clube grande no estado). [N.E: esqueceu do Bagé, mas tudo bem.]

Em São Paulo é diferente. E nas minhas vindas anteriores eu não havia detectado que a diferencia de cultura era TÃO grande, no que tange ao futebol, como reflexo de outras coisas.

Sobre os torcedores DE FATO, aqueles que sabem o que se passa com o clube (tipo 1 pessoa a cada 20 com quem conversei), vale ressaltar uma curiosidade: eles respeitam muito, mas muito mesmo o futebol gaúcho e têm certeza absoluta que jogar contra Inter ou Grêmio é enfrentar um bando de doente que vai dar a vida em campo, além de ser comum-acordo que a imprensa esportiva local é um câncer.

Certo... mas como eu disse estes são exceção. Caras assim, dá pra convidar pra um churrasco no Rio Grande e falar de futebol numa bueníssima. Quem trata o futebol como filosofia de vida pode ser gaúcho, paulista, uruguayo ou acreano... vai ser uma conversa legal.

Eu quero é falar do TORCEDOR COMUM.

E quando eu falo de TORCEDOR COMUM, eu preciso destacar 2 em especial. O torcedor do São Paulo e o torcedor do Corínthians

O torcedor COMUM do São Paulo é um retardado mental. Sabe que o clube é hexacampeão brasileiro, mas só conhece o Rogério Ceni (alguns escrevem Rogério Sene), como eu pude observar - pois sou um Filho da Puta e fiz questão que escrevessem o nome do cara.
Ah, sim, não estou falando de pessoas com problemas de alfabetização, caso tu pense isso. Não, tô falando de torcedor do São Paulo, normalmente mais elitizado.

Um cara que estava gravando aqui no estúdio (trajando abrigo do São Paulo) me viu com a camisa do Internacional e perguntou que time era.

Depois que os amigos dele me garantiram que não se tratava de deboche da parte dele, expliquei:

É a camisa do Internacional, que tu deveria saber, posto que ganhamos uma Libertadores em cima de vocês, na casa de vocês.

A resposta do sujeitinho é assustadora (e só vou citá-la pois os caras que estavam com ele - 2 palmeirenses doentes e 1 corinthiano - me garantiram que a visão de mundo e o conhecimento dele era isso mesmo):

''Que Libertadores? A gente que ganhou o brasileiro contra teu time esse ano! E outro time do Sul ganhou a Taça das Américas ''(sic).

Este é o torcedor-médio do São Paulo.

Aí tem o corinthiano médio.

Bom, este aí é um esteriótipo a parte. Simplesmente NÃO ADIANTA tu tentar explicar qualquer coisa sobre 2005, porque os caras simplesmente NÃO SABEM DO QUE TU TÁ FALANDO. Sério!
Eles acreditam que o Ronaldo foi a maior contratação da história do clube.
Eles acham que são mesmo campeões mundiais (alguns não sabem o que é Libertadores - sério, não é deboche - e não sabem diferenciar Copa do Brasil de Brasileiro).
Uns 3 me perguntaram se tinha CAMPEONATO PAULISTA NO RIO GRANDE DO SUL.
Todos conhecem o Inter e o Grêmio (e até o Juventude) mas pelo menos 20% tem imensa dificuldade para entender que o FIGUEIRENSE NÃO DISPUTA O CAMPEONATO GAÚCHO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

A curiosidade, é que saindo na noite com a camisa do Inter, DIVERSOS torcedores DO CORINTHIANS, vinham me parabenizar pelo título da sulamericana (torcedores mesmo) e dizer que torceram muito pelo Inter porque gostam muito do clube. e tinham certeza de que nós, colorados também torcemos pra eles subirem pra série A.

O que só mostra como algumas pessoas, independente de para quem torçam, ainda têm a inocência que Jesus queria no coração das pessoas.

Achei bonito, até.


Abraço, George.

Maurício

4 comentários:

Alexandre!!! disse...

Olá amigo,
Achei muito bom o seu blog,assim como vc,gosto muito de futebol(principalmente do sulamericano).
Moro em SP e sou um colorado fanático(apesar de ser paulista),tudo isso que vc falou sobre esses torcedores é a mais pura verdade.Para o corinthiano,só existe o corinthians e nada mais,enquanto que o sãopaulino só vai ao estádio prestigiar seu time,quando o mesmo está ganhando(independente do nível do torcedor).
Vc tbm está certo sobre a visão deles em relação ao futebol gaúcho,pra eles,os jogadores do RS são muito raçudos ,enquanto que os torcedores,são um bando de doentes que não abandonam o time(essa impressão está cada vez mais forte,por causa da Popular do Inter e da Geral do Grêmio).
Bom é só isso,abraços!!!

Maurício Alejándro Kehrwald disse...

Alexandre, fico muito feliz com o teu comentário. Quer dizer que minha visão de mundo quanto ao microcosmos futebolístico de SP não está tão distorcida assim.

Volte sempre ao bolicho aqui e mantenha acesa a chama criolla do futebolismo gaucho y pampero!

Abração!

Iuri Müller disse...

Trecho sensacional:

"O torcedor COMUM do São Paulo é um retardado mental. Sabe que o clube é hexacampeão brasileiro, mas só conhece o Rogério Ceni (alguns escrevem Rogério Sene), como eu pude observar - pois sou um Filho da Puta e fiz questão que escrevessem o nome do cara."

jajajaja

Futebol disse...

Cara, muito boa a carta. Realmente as pessoas do resto do país não vivem o futebol. Eu sempre comento com uns amigos, que o brasileiro adora futebol. Jogar futebol.
Pq assistir, viver, discutir...nada disso importa muito pro brasileiro médio.

Postar um comentário

top