Destino: Japão

O Inter embarcou ontem à tarde para o Japão (com conexões em São Paulo e Paris, 25 horas de viagem). A torcida deu um belo espetáculo de incentivo. Cerca de 300 torcedores foram para a frente do hotel (foto) onde estava hospedado o time, para esperar a saída da delegação e desde ali dar seu apoio. Na saída da equipe, um dos mais festejados foi Alexandre Pato, que precisou de ajuda dos seguranças para ir até o ônibus. Depois os torcedores foram em carreata acompanhando o ônibus até o aeroporto. Lá mais de 3000 colorados fizeram muita festa para a equipe, deixando inclusive os jogadores emocionados.

Uma pena alguns distúrbios entre alguns com a Brigada Militar. Com o tumulto, teve bala de borracha e alguns carros da imprensa foram danificados. Um lástima principalmente por haver famílias inteiras por lá, só querendo apoiar o seu clube. Este episódio foi enfocado de maneira diferente pelas tevês do centro do país. Enquanto SBT e Bandeirantes deram ênfase mais ao tumulto do que à despedida, na Globo o tema foi só a despedida.

Outra curiosidade foi a presença do governador do Estado, Germano Rigotto. Torcedor do Caxias**, ele prometeu torcer para o Inter: "Vou ficar torcendo daqui. Vocês estão levando o nome do Brasil mas o nome do Rio Grande do Sul especialmente".

Foi uma bela festa da torcida colorada, e faz imaginar como será a recepção se o Inter sagrar-se campeão. Sobre isso, na TV Bandeirantes, um representante da Brigada Militar declarou que não será permitida a recepção no aeroporto Salgado Filho na volta. Talvez ele tenha dito isso ainda sob o calor dos incidentes, mas fiquei pensando que será muito difícil segurar todo esse povo em caso de título e proibição de recepcionar no aeroporto. Acho brabo.

**Editado: O leitor Guilherme, me corrigiu nos comentários, que o governador Rigotto é torcedor do Caxias, e eu havia publicado inicialmente que ele era gremista. Guilherme está com toda a razão e não sei de onde tirei que ele era torcedor do Grêmio. Inclusive já li em algum lugar que Rigotto até fazia parte de uma torcida organizada precursora, ainda em Caxias. Grato Gilherme, pela importante correção.

Fotos: Site do S.C. Internacional

4 comentários:

Maurício Alejándro Kehrwald disse...

Só com MUITO NEGUINHO do CHOQUE pra segurar a horda em caso de título da facção!

George disse...

Eu fiquei pensando aqui. Acho que até dá para barrar. Não conheço como são os acessos para o aeroporto Salgado Filho, mas se a BM for fazer isso, deverá ser por bloqueio das vias.
Acontece que isso gerará muito mais confusão e possíveis distúrbios, do que se liberarem a recepção no aeroporto, com um aparato policial adequado.
Acho que essa de proibir a recepção é o caminho mais difícil e menos sensato, funcionando apenas como "punição" pelo ocorrido ontem e não aumentar a segurança.

Guilherme disse...

o governador riggoto torce pro caxias nao pro gremio

George disse...

Tens toda razão, Guilherme. Já corrigi, obrigado.

Postar um comentário

top